Radio Evangélica

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

O importante é a filiação partidária

Imagem: Internet/Reprodução
Cada vez mais me espanto com certos discursos que escuto no meu dia a dia. Ao ouvir os mesmos não sei se intitulo de “inocência”, indignação seletiva, falta de caráter ou hipocrisia mesmo. Se bem que ambos os conceitos se encaixam.
Vejo discursos onde se vê a indignação de algumas pessoas ao ver certo político ou grupo político envolvido em corrupção, discurso esse que é até plausível. Mas na verdade o discurso de indignação é usado pelo simples fato de não simpatizar com o político ou do partido que está envolvido na corrupção. Pois quando é o inverso (simpatiza com o político ou o partido) tudo é tolerado, usa uma “bela desculpa”: mas todos fazem isso. Isso quando não usa o discurso do pelo menos: pelos menos beneficiou um grupo de pessoas, onde o autor do discurso se inclui entre os beneficiados, pelo menos fez isso, pelo menos fez aquilo e assim vai.
Não tem a mínima decência de reconhecer que defende sim a ideologia partidária.
Constantemente ouço uma frase incrível, onde a quem fala essa frase deveria admitir que se tratasse de um mau-caráter mesmo. A frase é: “O PT foi besta ao deixar ser investigado”. Ou seja, deveria continuar roubando.  Mas esse tipo de pessoa é a primeira a ficar “indignada” com a corrupção do PSDB.
Também já presenciei a mesma pessoa criticando um salário de juízes, sempre revoltado. Detalhe: o juiz estudou e muito para chegar até lá. E os mesmos que criticam o salário de juiz defendem a volta de um sindicalista ao poder, um individuo que viveu de fazer greves, nunca trabalhou, mas sempre usou o rótulo de “trabalhador”.
Outra coisa que é bem incoerente é ver a “revolta desses moralistas” quando se ver um governo tomando medidas impopulares. Aceitam sem problema nenhum o argumento do partido o qual tem a simpatia, mas se outro partido usar o mesmo argumento com medidas parecidas, afirma que é mentira e afirma que os dados apresentados são manipulados.
Vi certa revolta devido a afirmação de Temer onde ele defende o estudo no aumento da alíquota do IR, mas será que esse “revoltado” usou o mesmo discurso quando o a bancada do seu partido amado votou a favor da manutenção da CPFM? Na época a CPMF foi rejeitada, mas em compensação veio o IOF. Mas como o que vale no Brasil é a filiação partidária, com certeza passou e os discursos de indignação não foram usados.
Algumas pessoas devem lembrar das MP’s 664 e 665, onde passaram sem problemas nenhum, sem nenhuma discurso contra, me refiro aos “representantes dos trabalhadores” . Tudo pelo fato da filiação partidária de quem sancionou.
Mas quanto à reforma trabalhista de 2017, “os representantes dos trabalhadores” estão organizando até abaixo assinado para a mesma ser revogada. Deveriam ter a decência de falar que na verdade o problema não é a reforma em si, mas a filiação partidária de quem propôs, pois se calaram diante das MP’s 664 e 665.
Há uns dias atrás vi uma postagem no Facebook onde eu poderia até curtir e até mesmo concordar, mas partindo de quem partiu não pude dar crédito. Pois a postagem afirmava: “Se o Brasil fosse um País sério Temer estaria preso”. Concordo, mas não só ele, também Aécio, Lula, Renan Calheiros e os demais outros políticos envolvidos em corrupção. Mas pelo que se percebeu em relação a essa postagem é a insatisfação com a pessoa do Temer, pois se trata de um “golpista”.
Outro dia uma pessoa me enviou a seguinte citação bíblica: Quando os justos governam, alegra-se o povo; mas quando o ímpio domina, o povo geme. (Pv 29:2). Concordo com a citação, agora falta a pessoa que me enviou esse versículo também concordar, pois dias depois ele me enviou um vídeo elogiando um político que está envolvido em corrupção e foi citado em diversas delações premiadas. Pergunto: O que é ser justo para essa pessoa? Pois em seus gestos e atitudes sempre demonstrou indignação, mas seletiva. Onde o mesmo sempre tolera a corrupção de quem ele tem simpatia política e fica indignado com a corrupção de quem não tem.
A partir desses pequenos exemplos que são comuns vermos no dia a dia, chego à conclusão que não existe nada de indignação com a corrupção ou atos de políticos e sim a filiação partidária de quem comete.


Joabson João 

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Trump mostra preocupação com produção de coca na Colômbia em carta a Santos

AFP / SAUL LOEB
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, insistiu em sua preocupação com o aumento "extraordinário" do cultivo de coca na Colômbia, em uma carta enviada esta semana ao seu contraparte colombiano, Juan Manuel Santos.
Na missiva, datada em 24 de outubro e divulgada nesta sexta-feira (27) pelo governo colombiano, Trump pediu ajuda a Santos para "diminuir a produção e o tráfico de drogas na Colômbia", o maior exportador mundial de cocaína.
O presidente americano citou a declaração que assinou em 13 de setembro na qual manifestava sua inquietação "ante a extraordinária expansão" dos cultivos de coca, e "as possíveis consequências (...) de não deter estas atividades".
"Expressei estas preocupações porque prometi ao povo dos Estados Unidos que impediremos que as drogas traspassassem nossas fronteiras, e preciso da sua ajuda", escreveu Trump.
Santos interpretou a mensagem como um "apoio" e reconhecimento ao "esforço" que o governo está fazendo para erradicar as plantações ilegais, através de uma estratégia que combina acordos de substituição voluntária e erradicação à força.
"Fomos o país que mais lutou nesta guerra contra o narcotráfico, que mais sacrifícios fez. Nenhum país em todo o planeta sacrificou tanto em termos de vidas humanas", declarou Santos em uma conferência de imprensa na sede de governo.
Com 146.000 hectares semeados de folha de coca, a Colômbia foi o principal produtor e exportador de cocaína no mundo em 2016, segundo dados da ONU.
O governo de Santos, que assinou um histórico acordo de paz que permitiu este ano o desarme e transformação em partido político da guerrilha das FARC, implicada no narcotráfico, espera destruir 100.000 hectares de plantações ilegais este ano.


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Meditação em Daniel 6

“Pareceu bem a Dario constituir sobre o reino cento e vinte sátrapas, que estivessem por todo o reino; e sobre eles três presidentes, dos quais Daniel era um; a fim de que estes sátrapas lhes dessem conta, e que o rei não sofresse dano.
Então o mesmo Daniel sobrepujava a estes presidentes e aos sátrapas; porque nele havia um espírito excelente; e o rei pensava constituí-lo sobre todo o reino: Nisso os presidentes e os sátrapas procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do reino mas não podiam achar ocasião ou falta alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem falta.
Pelo que estes homens disseram: Nunca acharemos ocasião alguma contra este Daniel, a menos que a procuremos no que diz respeito a lei do seu Deus.
Então os presidentes e os sátrapas foram juntos ao rei, e disseram-lhe assim: Ó rei Dario, vive para sempre.
Todos os presidentes do reino, os prefeitos e os sátrapas, os conselheiros e os governadores, concordaram em que o rei devia baixar um decreto e publicar o respectivo interdito, que qualquer que, por espaço de trinta dias, fizer uma petição a qualquer deus, ou a qualquer homem, exceto a ti, ó rei, seja lançado na cova dos leões.
Agora pois, ó rei, estabelece o interdito, e assina o edital, para que não seja mudado, conforme a lei dos medos e dos persas, que não se pode revogar. Em virtude disto o rei Dario assinou o edital e o interdito.
Quando Daniel soube que o edital estava assinado, entrou em sua casa, no seu quarto em cima, onde estavam abertas as janelas que davam para o lado de Jerusalém; e três vezes no dia se punha de joelhos e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer.
Então aqueles homens foram juntos, e acharam a Daniel orando e suplicando diante do seu Deus.
Depois se foram à presença do rei e lhe perguntaram no tocante ao interdito real: Porventura não assinaste um interdito pelo qual todo homem que fizesse uma petição a qualquer deus, ou a qualquer homem por espaço de trinta dias, exceto a ti, ó rei, fosse lançado na cova dos leões? Respondeu o rei, e disse: Esta palavra é certa, conforme a lei dos medos e dos persas, que não se pode revogar.
Então responderam ao rei, dizendo-lhe Esse Daniel, que é dos exilados de Judá, e não tem feito caso de ti, ó rei, nem do interdito que assinaste; antes três vezes por dia faz a sua oração.
Ouvindo então o rei a notícia, ficou muito penalizado, e a favor de Daniel propôs dentro do seu coração livrá-lo; e até o pôr do sol trabalhou para o salvar.
Nisso aqueles homens foram juntos ao rei, e lhe disseram: Sabe, ó rei, que é lei dos medos e persas que nenhum interdito ou decreto que o rei estabelecer, se pode mudar.
Então o rei deu ordem, e trouxeram Daniel, e o lançaram na cova dos leões. Ora, disse o rei a Daniel: O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te livrará.
E uma pedra foi trazida e posta sobre a boca da cova; e o rei a selou com o seu anel e com o anel dos seus grandes, para que no tocante a Daniel nada se mudasse: Depois o rei se dirigiu para o seu palácio, e passou a noite em jejum; e não foram trazidos à sua presença instrumentos de música, e fugiu dele o sono. Então o rei se levantou ao romper do dia, e foi com pressa à cova dos leões.
E, chegando-se à cova, chamou por Daniel com voz triste; e disse o rei a Daniel: Ó Daniel, servo do Deus vivo, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões? Então Daniel falou ao rei: Ó rei, vive para sempre.
O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, e eles não me fizeram mal algum; porque foi achada em mim inocência diante dele; e também diante de ti, ó rei, não tenho cometido delito algum.
Então o rei muito se alegrou, e mandou tirar a Daniel da cova. Assim foi tirado Daniel da cova, e não se achou nele lesão alguma, porque ele havia confiado em seu Deus.
E o rei deu ordem, e foram trazidos aqueles homens que tinham acusado Daniel, e foram lançados na cova dos leões, eles, seus filhos e suas mulheres; e ainda não tinham chegado ao fundo da cova quando os leões se apoderaram deles, e lhes esmigalharam todos os ossos.
Então o rei Dario escreveu a todos os povos, nações e línguas que moram em toda a terra: Paz vos seja multiplicada.
Com isto faço um decreto, pelo qual em todo o domínio do meu reino os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel; porque ele é o Deus vivo, e permanece para sempre; e o seu reino nunca será destruído; o seu domínio durará até o fim.
Ele livra e salva, e opera sinais e maravilhas no céu e na terra; foi ele quem livrou Daniel do poder dos leões.
Este Daniel, pois, prosperou no reinado de Dario, e no reinado de Ciro, o persa.” – (Dn 6:1-28)

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista e Jornalista – skype: siscompar – fones: 041-41-99820-9599 (TIM) – 021-41-99821-2381 (CLARO e WhatsApp) – 015-41-99109-8374 (VIVO) – 014-41-98514-8333 (OI) – mensagem 170917 – Meditação em Daniel 6 – imagens da internet)
Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:
(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)
leia este texto completo e outros em:



Meditação em Daniel 10

“No ano terceiro de Ciro, rei da Pérsia, foi revelada uma palavra a Daniel, cujo nome se chama Beltessazar, uma palavra verdadeira concernente a um grande conflito; e ele entendeu esta palavra, e teve entendimento da visão. Naqueles dias eu, Daniel, estava pranteando por três semanas inteiras.
Nenhuma coisa desejável comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com ungüento, até que se cumpriram as três semanas completas. No dia vinte e quatro do primeiro mês, estava eu à borda do grande rio, o Tigre;
levantei os meus olhos, e olhei, e eis um homem vestido de linho e os seus lombos cingidos com ouro fino de Ufaz;
o seu corpo era como o berilo, e o seu rosto como um relâmpago; os seus olhos eram como tochas de fogo, e os seus braços e os seus pés como o brilho de bronze polido; e a voz das suas palavras como a voz duma multidão.
Ora, só eu, Daniel, vi aquela visão; pois os homens que estavam comigo não a viram: não obstante, caiu sobre eles um grande temor, e fugiram para se esconder.
Fiquei pois eu só a contemplar a grande visão, e não ficou força em mim; desfigurou-se a feição do meu rosto, e não retive força alguma.
Contudo, ouvi a voz das suas palavras; e, ouvindo o som das suas palavras, eu caí num profundo sono, com o rosto em terra.
E eis que uma mão me tocou, e fez com que me levantasse, tremendo, sobre os meus joelhos e sobre as palmas das minhas mãos.
E me disse: Daniel, homem muito amado, entende as palavras que te vou dizer, e levanta-te sobre os teus pés; pois agora te sou enviado. Ao falar ele comigo esta palavra, pus-me em pé tremendo.
Então me disse: Não temas, Daniel; porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras, e por causa das tuas palavras eu vim.
Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu o deixei ali com os reis da Pérsia.
Agora vim, para fazer-te entender o que há de suceder ao teu povo nos derradeiros dias; pois a visão se refere a dias ainda distantes. Ao falar ele comigo estas palavras, abaixei o rosto para a terra e emudeci.
E eis que um que tinha a semelhança dos filhos dos homens me tocou os lábios; então abri a boca e falei, e disse àquele que estava em pé diante de mim: Senhor meu, por causa da visão sobrevieram-me dores, e não retenho força alguma.
Como, pois, pode o servo do meu Senhor falar com o meu Senhor? pois, quanto a mim, desde agora não resta força em mim, nem fôlego ficou em mim. Então tornou a tocar-me um que tinha a semelhança dum homem, e me consolou.
E disse: Não temas, homem muito amado; paz seja contigo; sê forte, e tem bom ânimo. E quando ele falou comigo, fiquei fortalecido, e disse: Fala, meu senhor, pois me fortaleceste.
Ainda disse ele: Sabes por que eu vim a ti? Agora tornarei a pelejar contra o príncipe dos persas; e, saindo eu, eis que virá o príncipe da Grécia.
Contudo eu te declararei o que está gravado na escritura da verdade; e ninguém há que se esforce comigo contra aqueles, senão Miguel, vosso príncipe.” – (Dn 10:1-21)

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista e Jornalista – skype: siscompar – fones: 041-41-99820-9599 (TIM) – 021-41-99821-2381 (CLARO e WhatsApp) – 015-41-99109-8374 (VIVO) – 014-41-98514-8333 (OI) – mensagem 160917 – Meditação em Daniel 10 – imagens da internet)
Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:
(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)
leia este texto completo e outros em:



Meditação em Daniel 8

“No ano terceiro do reinado do rei Belsazar apareceu-me uma visão, a mim, Daniel, depois daquela que me apareceu no princípio.
E na visão que tive, parecia-me que eu estava na cidadela de Susã, na província de Elão; e conforme a visão, eu estava junto ao rio Ulai.
Levantei os olhos, e olhei, e eis que estava em pé diante do rio um carneiro, que tinha dois chifres; e os dois chifres eram altos; mas um era mais alto do que o outro, e o mais alto subiu por último.
Vi que o carneiro dava marradas para o ocidente, e para o norte e para o sul; e nenhum dos animais lhe podia resistir, nem havia quem pudesse livrar-se do seu poder; ele, porém, fazia conforme a sua vontade, e se engrandecia.
E, estando eu considerando, eis que um bode vinha do ocidente sobre a face de toda a terra, mas sem tocar no chão; e aquele bode tinha um chifre notável entre os olhos.
E dirigiu-se ao carneiro que tinha os dois chifres, ao qual eu tinha visto em pé diante do rio, e correu contra ele no furor da sua força.
Vi-o chegar perto do carneiro; e, movido de cólera contra ele, o feriu, e lhe quebrou os dois chifres; não havia força no carneiro para lhe resistir, e o bode o lançou por terra, e o pisou aos pés; também não havia quem pudesse livrar o carneiro do seu poder.
O bode, pois, se engrandeceu sobremaneira; e estando ele forte, aquele grande chifre foi quebrado, e no seu lugar outros quatro também notáveis nasceram para os quatro ventos do céu.
Ainda de um deles saiu um chifre pequeno, o qual cresceu muito para o sul, e para o oriente, e para a terra formosa; e se engrandeceu até o exército do céu; e lançou por terra algumas das estrelas desse exército, e as pisou.
Sim, ele se engrandeceu até o príncipe do exército; e lhe tirou o holocausto contínuo, e o lugar do seu santuário foi deitado abaixo.
E o exército lhe foi entregue, juntamente com o holocausto contínuo, por causa da transgressão; lançou a verdade por terra; e fez o que era do seu agrado, e prosperou.
Depois ouvi um santo que falava; e disse outro santo àquele que falava: Até quando durará a visão relativamente ao holocausto contínuo e à transgressão assoladora, e à entrega do santuário e do exército, para serem pisados?
Ele me respondeu: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; então o santuário será purificado.
Havendo eu, Daniel, tido a visão, procurei entendê-la, e eis que se me apresentou como que uma semelhança de homem.
E ouvi uma voz de homem entre as margens do Ulai, a qual gritou, e disse: Gabriel, faze que este homem entenda a visão.
Veio, pois, perto de onde eu estava; e vindo ele, fiquei amedrontado, e caí com o rosto em terra. Mas ele me disse: Entende, filho do homem, pois esta visão se refere ao tempo do fim.
Ora, enquanto ele falava comigo, caí num profundo sono, com o rosto em terra; ele, porém, me tocou, e me pôs em pé.
e disse: Eis que te farei saber o que há de acontecer no último tempo da ira; pois isso pertence ao determinado tempo do fim.
Aquele carneiro que viste, o qual tinha dois chifres, são estes os reis da Média e da Pérsia.
Mas o bode peludo é o rei da Grécia; e o grande chifre que tinha entre os olhos é o primeiro rei.
O ter sido quebrado, levantando-se quatro em lugar dele, significa que quatro reinos se levantarão da mesma nação, porém não com a força dele.
Mas, no fim do reinado deles, quando os transgressores tiverem chegado ao cúmulo, levantar-se-á um rei, feroz de semblante e que entende enigmas.
Grande será o seu poder, mas não de si mesmo; e destruirá terrivelmente, e prosperará, e fará o que lhe aprouver; e destruirá os poderosos e o povo santo.
Pela sua sutileza fará prosperar o engano na sua mão; no seu coração se engrandecerá, e destruirá a muitos que vivem em segurança; e se levantará contra o príncipe dos príncipes; mas será quebrado sem intervir mão de homem.
E a visão da tarde e da manhã, que foi dita, é verdadeira. Tu, porém, cerra a visão, porque se refere a dias mui distantes.
E eu, Daniel, desmaiei, e estive enfermo alguns dias; então me levantei e tratei dos negócios do rei. E espantei-me acerca da visão, pois não havia quem a entendesse.” – (Dn 8:1-27)

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista e Jornalista – skype: siscompar – fones: 041-41-99820-9599 (TIM) – 021-41-99821-2381 (CLARO e WhatsApp) – 015-41-99109-8374 (VIVO) – 014-41-98514-8333 (OI) – mensagem 150917 – Meditação em Daniel 8 – imagens da internet)
Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:
(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)
leia este texto completo e outros em:



terça-feira, 24 de outubro de 2017

Indagado sobre relação com governo, Maia diz que não há "amiguinho" na política

Imagem: Internet/Reprodução
Na véspera da votação da denúncia contra o presidente Michel Temer e dois de seus ministros, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta terça-feira, ao ser questionado sobre sua relação com o governo, que em política não há “amiguinhos”.
Maia acabava de chegar à Câmara na tarde desta terça, após audiência com Temer, quando foi questionado sobre sua relação com o Planalto e se seguiriam “amiguinhos para sempre”.
“Em política não tem amiguinho, muito menos para sempre”, disse o presidente da Câmara a jornalistas.
Maia negou, no entanto, que os recentes atritos com o governo pautem qualquer atitude sua no comando da Câmara.
“Eu não vou nunca tomar uma atitude na Câmara porque ele falou uma coisa que eu não gostei”, ponderou. “Eu não misturei o meu conflito político com a minha ação como presidente da Câmara.”
As rusgas entre Maia e o Planalto ficaram evidentes quando, visivelmente irritado, o presidente da Câmara reclamou da atuação de ministros palacianos para filiar parlamentares dissidentes do PSB, cobiçados pelo DEM, ao PMDB.
Em um episódio mais recente, Maia trocou duras declarações com o advogado de defesa de Temer por conta da divulgação de vídeos da delação premiada do empresário Lucio Funaro no site da Câmara.
Antes de saber que o conteúdo havia sido publicado pelo site da Casa, o advogado Eduardo Carnelós classificou o fato como um “vazamento criminoso”. Maia, por sua vez, o chamou de incompetente.
Depois, Temer colocou em prática uma operação para apagar o incêndio e convidou Maia para uma conversa. Mas a divulgação de informações sobre o teor do encontro trouxe nova crise à relação.
Maia irritou-se com a tese propagada por auxiliares do presidente segundo a qual a conversa servira para tratar do rito da votação da denúncia, prevista para quarta-feira.
O presidente da Câmara divulgou uma nota dura, referindo-se à versão como “falsa” e defendendo que o autor da tese “precisa repor a verdade dos fatos”.
Nesta terça-feira, Maia garantiu que tais episódios são “irrelevantes” para condução dos trabalhos na Casa.


domingo, 15 de outubro de 2017

EUA manterão diplomacia com a Coreia do Norte "até a primeira bomba"

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, afirmou neste domingo que seu país tem a intenção de continuar negociando uma saída diplomática com a Coreia do Norte, que nos últimos meses fez uma série de testes com armas nucleares, até que "caia a primeira bomba".
"Os esforços diplomáticos continuarão até que caia a primeira bomba", apontou Tillerson em uma entrevista concedida hoje ao canal de notícias "CNN".
As declarações acontecem após a ameaça feita na sexta-feira por Pyongyang de disparar mísseis perto da ilha americana de Guam perante o desdobramento militar de Washington na região e uma semana depois de o presidente americano, Donald Trump, dizer que só "uma coisa" dará um fim ao conflito, sem especificar a que se referia.
A tensão entre os dois países cresceu de maneira exponencial devido aos testes nucleares que a Coreia do Norte realizou nos últimos meses, interpretados como uma clara ameaça tanto para os EUA quanto para seus principais aliados na região, a Coreia do Sul e o Japão.
Tillerson também fez referência à suspensão do acordo nuclear com o Irã, sobre o qual Trump disse na sexta-feira estar disposto a abandonar de forma definitiva se seus "defeitos" não forem corrigidos.
O secretário de Estado disse estar de acordo com o secretário de Defesa, James Mattis, que em diversas ocasiões disse acreditar que o melhor para os interesses americanos é permanecer no tratado, que foi assinado em 2015 e do qual também fazem parte Rússia, China, Alemanha, Reino Unido e França.
Tillerson lembrou que, em todo caso, a intenção de Trump não é romper o pacto, mas forçar uma negociação internacional ou uma lei do Congresso dos EUA que ajude a eliminar os pontos que considera errôneos.
"Queremos pegar o acordo tal como existe hoje em dia, e depois apontar todos esses erros", esclareceu Tillerson.


quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Voto faxina

Infelizmente o que o Brasil necessita agora é dessa limpeza geral.
Precisamos fazer valer o nosso direito à vida, e aos nossos direitos de ir e vir, aos nossos direitos de ver respeitados os deveres, daqueles que nos devem satisfações, daqueles que, constitucionalmente, são nossos empregados.
E todo o que não respeitar, que seja preso e que tenhamos as rédeas de condução de nossas vidas em nossas mãos. (ap. Ely Silmar Vidal)

(ap. Ely Silmar Vidal – skype: siscompar – fones: 041-41-99820-9599 (TIM) – 021-41-99821-2381 (CLARO e WhatsApp) – 015-41-99109-8374 (VIVO) – 014-41-98514-8333 (OI) – mensagem 300917 – Voto faxina – imagens da internet)
Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:
(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)
leia este texto completo e outros em:



Ideologia de Gênero, a Farsa

O intuito é tirar a família de circulação e dessa forma impor uma nova condição de vida, onde o ser homem ou mulher hétero, passa a ser crime, porquanto inibe aos que têm uma ideologia distinta daquilo como foram gerados. Portanto, ser homem, não! Ser mulher, também não!
O objetivo dos que defendem essa ideologia é fazer com que todos sejam tudo e em todo tempo, a fim de que esteja implantada a bagunça generalizada na mente do ser humano, e dessa forma, você deixa de ter o seu valor, pois, se você não tem uma identidade, você não serve para absolutamente nada.
Neste vídeo, vemos o Professor Felipe Nery, que é presidente do Observatório de Biopolítica, nos mostra de forma bastante didática e clara as consequências dessa tal ideologia de gênero, e nos mostra que isso é uma organização em busca da destruição dos valores judaico-cristãos, e assim conseguir a implantação de uma nova sociedade, onde os valores seriam implantados pelo aqui e agora.
A ideologia de gênero já está sendo implantada, ainda que contrária à vontade da maioria.
Vamos lutar e bater de frente contra esses canalhas, pois já sabemos onde eles querem chegar.

(ap. Ely Silmar Vidal – skype: siscompar – fones: 041-41-99820-9599 (TIM) – 021-41-99821-2381 (CLARO e WhatsApp) – 015-41-99109-8374 (VIVO) – 014-41-98514-8333 (OI) – mensagem 300917 – Ideologia de Gênero, a Farsa – imagens da internet)
Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:
(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)
leia este texto completo e outros em:



quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Associações e Conselhos no Brasil, geralmente, só pensam em dinheiro

A motivação de alguns grupos em se reunir e congregar é importantíssima, pois, a “união faz a força”, e juntos os indivíduos conseguem quórum para decisões importantes na vida dos seus membros. A soma de um grupo dá força e poder para realizações e destaque para suas atividades.

Então, logo após preencher fichas de filiação e enviar documentos os indivíduos já estão associados. Mas, com o passar do tempo, pouquíssimas agremiações, sindicatos, associações e conselhos de diversos segmentos no Brasil enviam informativos, não atualizam seus sites e devolvem quase nada aos seus filiados em serviços e produtos que os membros necessitam ou que foram buscar ao se associar. O que ocorre é que simplesmente mandam seus boletos ou mensagens no WhatsApp para pagamento da próxima anuidade. Isso é realmente ruim. E faz com que haja uma saída de muitos associados no ano seguinte.

É óbvio que este artigo é uma crítica às péssimas associações e conselhos de classe que não atuam com seriedade e profissionalismo. É claro que esta crítica é para os sindicatos e agremiações que se tornaram "cabides de emprego" para um grupo de homens e mulheres indolentes. Cada um saberá onde o sapato aperta ao ler este artigo.

O trabalho ético de algumas associações e conselhos de contribuir socialmente fica apenas no papel, na troca de opiniões ou no site e nada mais é feito. Alguns representantes destas associações ainda ficam irritados, quando são chamados à atenção sobre estes pontos. E quando muito, enviam um pequeno boletim informativo eletrônico ou uma pequena e insignificante alteração no site e nada mais.

As mensalidades ou anuidades cobradas deveriam ser convertidas em livros, revistas, cursos, convênios e outros bônus, como palestras, por exemplo, aos seus membros associados. Anualmente um encontro poderia ser organizado, onde todos associados podem acrescer um simbólico valor para realizar um jantar beneficente ou coisa do gênero. Poderiam ser criados também clubes ou confrarias pelas próprias associações ou conselhos para produzir outros e melhores e benefícios aos filiados. Mas raramente isso acontece.

Além do mais, alguns presidentes dizem que suas associações, grêmios, sindicatos e conselhos são sem fins de lucro. Mas suas arrecadações comumente vão para os bolsos de seus presidentes, diretores ou membros da diretoria que locupletam com as contribuições dos outros e desfrutam de vidas abastadas. Outras associações, porém, vivem na maior penúria por não terem competência administrativa e por não saberem lidar com a energia do dinheiro.

Precisamos entender que o verdadeiro papel de uma associação ou de um conselho é gerar uma forma nobre de afirmar valores e a cidadania em razão direta de seu objeto social. Para isso, as pessoas se reúnem para formar grupos profissionais, zelar pela conduta, defender suas profissões, agrupar membros ex-combatentes, promover iniciativas para a cidade e os bairros, defender a ecologia e o meio ambiente, associar policiais, fazer beneficência, fundar uma associação para idosos etc.

Algumas pesquisas encomendadas já avaliaram o grau de satisfação dos membros filiados de diversas associações, agremiações, sindicatos e conselhos em Curitiba, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A conclusão é que falta para muitas associações e conselhos o espírito de empreendedorismo, a participação dos projetos e o associativismo. Apela-se para uma união maior, mas o que interessa mesmo é a captação maior de membros para aumentar a receita.

Algumas entidades de classe no Paraná alcançam em torno de 20.000 profissionais chegando a captar um valor expressivo de R$ 5 milhões/ano, isto é, uma renda mensal de quase R$ 420 mil. Outras muito mais modestas chegam apenas a 1%, isto é, 200 associados com arrecadação modesta de R$ 50 mil/ano e uma renda mensal de apenas R$ 4 mil. Com uma diferença brutal de R$ 4.900 milhões, uma associação assim poderia fazer cursos gratuitos para todos os seus profissionais, oferecer uma sede própria para receber seus associados, publicar uma revista informativa, realizar reuniões periódicas, almoços mensais e cafés da manhã com seu presidente entre outras coisas.

Segundo estudos, os benefícios que uma associação pode gerar em benefício de seus membros só surtem o efeito desejado quando alinhados com os interesses dos mesmos e com a gestão de pessoas competentes no comando, e nunca com pessoas sem preparo e indolentes.

Precisamos urgente mudar este cenário. Mas antes de tudo, precisamos de uma reforma completa em nosso país, mais respeito com o cidadão e mais honra, ética e comprometimento com tudo o que fazemos. Um abraço a todos. Obrigado!

(Uberto Afonso Albuquerque da Gama - Possui graduações em Filosofia e Teologia. Psicanalista na CLÍNICA VIDYA LTDA - Atua também como professor, jornalista, educador, e editor-chefe da Revista Vidya News).